Acampamento Terra Livre: Resistência indígena em imagens

Criança indígena sobre os ombros de um homem adulto em protesto em Brasília. Ambos estão pintados de terra e urucum. Do lado direito, um bebê mama no peito da mãe.
Cobertura dos dez dias da maior mobilização indígena do país

Mais de 8 mil indígenas de 200 povos se reuniram em Brasília entre os dias 4 e 14 de abril para a 18ª edição do Acampamento Terra Livre (ATL), mobilização anual do movimento indígena brasileiro. Durante o evento, documentei plenárias, apresentações artísticas, debates e marchas pela capital.

Homem indígena mais velho com cocar azul e vermelho ergue o punho ao alto no Acampamento Terra Livre

Anderson Barbosa/Amazônia Latitude.

A 18ª edição do ATL foi a minha segunda cobertura da maior assembleia dos povos indígenas. Ela marcou meu retorno à fotografia após dois anos afastado do fotojornalismo.

Indígenas Munduruku erguem cartazes em protesto do Acampamento Terra Livre, onde se lê: "O povo munduruku exige demarcação já"

Anderson Barbosa/Amazônia Latitude.

Foram dias intensos fotografando diferentes personagens da luta indígena brasileira e as atividades das quais eles fizeram parte.

Mulheres indígenas discursam em palco do Acampamento Terra Livre

Anderson Barbosa/Amazônia Latitude.

Houve palestras e plenárias para a discussão de temas envolvendo ancestralidade, diversidade e juventude, além da exibição de um filmes para refletir sobre cultura indígena.

Mulher indígena segura uma bandeira do Brasil pintada de vermelho pela haste. Ela usa uma representação de máscara de gás, feita de garrafa pet.

Anderson Barbosa/Amazônia Latitude.

Esta edição me marcou pela participação de jovens em painéis de discussão e também pelos coletivos de comunicadores, transmitindo e documentando o evento.

Homem indígena usa cocar marrom e branco e olha para a câmera atrás de um cartaz no protesto do Acampamento Terra Livre.

Anderson Barbosa/Amazônia Latitude.

Os indígenas presentes também debateram a importância das mulheres na luta indígena, a ocupação de cargos políticos por indígenas e as ameaças aos territórios e à demarcação de terras, afetada diretamente por decisões tomadas pelos três poderes.

Homens indígenas fazem dança com tochas em protesto do Acampamento Terra Livre.

Anderson Barbosa/Amazônia Latitude.

Não é por acaso que o tema da ATL de 2022 foi “Retomando o Brasil: Demarcar territórios e aldear a política”, em contexto de desmonte de políticas ambientais do Governo Federal e a tramitação de projetos de lei prejudiciais aos direitos dos indígenas e ao meio ambiente.

Indígenas protestam contra o garimpo ilegal na Amazônia no Acampamento Terra Livre, segurando caixões nas costas durante uma marcha.

Anderson Barbosa/Amazônia Latitude.

Uma das promessas do ex-presidente Lula (PT), que compareceu ao evento, foi retomar o processo de demarcação caso seja eleito neste ano.

Criança indígena com pinturas tradicionais veste camiseta vermelha e um chapéu de animal no Acampamento Terra Livre.

Anderson Barbosa/Amazônia Latitude.

A lista das propostas em tramitação que afetam os povos indígenas é extensa. Projeto de Lei 490/2007, do Marco Temporal; PL 6299/2002, da mudança nas regras nos agrotóxicos; PL 2633/2020 e PL 510/2021, da regularização de terras públicas invadidas por grileiros; PL 2159/2021, que altera as normas de licenciamento ambiental no país; PL 2699, do Estatuto do desarmamento e porte de armas, que fornece poder de fogo para invasores de terras indígenas; e o PL 191/2020, da Mineração em Terras Indígenas.

Mulher indígena usando um cocar marcha e ergue uma bandeira do Brasil nas costas no protesto do Acampamento Terra Livre.

Anderson Barbosa/Amazônia Latitude.

Este último recebeu aprovação pela Câmara dos Deputados para ser votado em regime de urgência, com apoio do Governo Federal. A necessidade de rapidez foi baseada na interrupção de potássio importado da Rússia, que invadiu a Ucrânia em fevereiro de 2022, e na suposta necessidade de minerar terras indígenas.

Homem indígena toca instrumento em frente a manifestantes do Acampamento Terra Livre

Anderson Barbosa/Amazônia Latitude.

O Acampamento Terra Livre também divulgou uma carta aberta contra o PL 191/2020, elencando os impactos dessa investida em suas terras.

Homem indígena usando um cocar marrom, preto e branco olha ao longe. Ele tem pinturas geométricas pretas no rosto e usa uma faixa na testa vermelha, onde lê-se "Fora Bolsonaro".

Anderson Barbosa/Amazônia Latitude.

O ATL de 2022 reuniu milhares de pessoas entre representantes indígenas do país, políticos, celebridades, organizações sociais como a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil APIB, a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab), a Articulação dos Povos e Organizações Indígenas do Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo (Apoinme), a Grande Assembleia dos Povos Guarani e Kaiowá (Aty Guasu), a Articulação dos Povos Indígenas da Região Sul (ARPINSUL) e a Articulação dos Povos Indígenas do Sudeste (ARPINSUDESTE).

Grupo de manifestantes indígenas do Acampamento Terra Livre em volta de um globo terrestre inflável grande. No centro, um homem mais velho usando um cocar azul até os pés olha para a câmera com distinção. Homens, mulheres e crianças se aglutinam ao seu redor.

Anderson Barbosa/Amazônia Latitude.

Todas as fotos utilizadas nesta fotogaleria são de autoria de Anderson Barbosa

 

Print Friendly, PDF & Email

You may also like...